Setor Cultura da CNBB é parceiro em projeto agraciado com certificação ouro

O projeto brasileiro de formação de “Agentes Jovens da Casa Comum – Santuário Digital” recebeu o reconhecimento internacional, com certificação ouro, do Good Festival da Suíça, realizado do dia 20 ao dia 22 de abril. A iniciativa é fruto de parceria entre a organização não-governamental brasileira Instituto Casa Comum (ICC), a empresa PRUMOPRO, o Instituto Brasileiro da Diversidade (IBD), o Setor Cultura da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a arquidiocese de Belo Horizonte e a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), por meio do Programa Santuário Digital.

O Setor Cultura da CNBB, por meio de seu assessor, professor Josimar Azevedo, e do arcebispo coadjutor de Montes Claros (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação, dom João Justino de Medeiros Silva, é parceiro da PUC Minas na produção do Programa Santuário Digital desde seu início e parceiro do Instituto Casa Comum na instalação de uma rede mundial para o Programa Agentes Jovens da Casa Comum (AJCC).

Essa plataforma, desenvolvida pelo Núcleo de Estudos e Pesquisa em Pastoral da Cultura (Nepac-PUC Minas), faz o mapeamento descritivo e georreferenciado de bens naturais e culturais, em ambiente formativo, possibilita o diálogo entre os jovens, em rede mundial, na busca de soluções de problemas locais e globais.

A formação de Agentes Jovens da Casa Comum é fruto do trabalho do Instituto Casa Comum e tem como proposta a integração de Pontos de Encontros e organizações comunitárias, espalhadas pelo mundo, com o objetivo de sensibilizar, capacitar e integrar jovens das comunidades locais, através da arte, do desporto, da permacultura, da atuação cidadã e do uso das novas tecnologias.

O programa de formação prevê 24 horas por semana, sendo 12 horas em formação específica e 12 horas de serviço comunitário. Os agentes jovens atuam nas áreas do meio ambiente e cultura, incentivados a identificar e cadastrar bens naturais e culturais, interagir com a história, identidade e organizações locais, bem como buscar soluções para problemas diagnosticados. Para isso, utilizam o suporte da multiplataforma do Santuário Digital, aplicativo, portal e biblioteca digital.

A capacitação permite estruturar, planejar e medir impactos nas comunidades, bem como fortalecer essas comunidades na busca de suas próprias soluções. Além disso, busca integrar jovens de diferentes cidades e países para o compartilhamento de experiências e a construção conjunta de práticas sustentáveis.

De acordo com o professor Josimar, a apresentação no Good Festival é oportunidade para divulgar a ação, buscar recursos financeiros e parceiros para implantar o programa de formação e gestão sustentável do projeto e uma rede mundial. A instituição foi representada, no evento, pela jornalista e gestora de projetos Maria Alice Campos, membro fundadora do ICC, luso-brasileira residente em Lisboa, com assessoria e acompanhamento de Coraly Pedroso, Fabrício Ramos e Thiago Bittencurt.

Com informações e fotos de Josimar da Silva Azevedo