Pastorais Sociais retomam Medellín para pensar suas ações

De 1º a 4 de agosto, 50 agentes, entre bispos e agentes pastorais, participam do Encontro Nacional das Pastorais Sociais, organismos e setor de Mobilidade Humana da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O encontro, que acontece no Centro Cultural de Brasília-DF, tem como objetivo: “refletir sobre o momento sócio-político e eclesial; partilhar e avaliar a caminhada das articulações regionais e coordenações das pastorais sociais e rever, à luz do documento de Medellín, os desafios pastorais atuais”.

Padre Oscar Beozzo, relevante historiador da Igreja no Brasil e da América Latina, foi responsável por uma apresentação seguida de conversa sob o título: “Conjuntura eclesial: Medellín e os desafios pastorais atuais”. Ele explicou que “o objetivo do encontro foi retomar o significado de Medellín à luz do que está acontecendo agora”.

Dom Guilherme, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora

Para o bispo de Ipameri (GO), Dom Guilherme Werlang, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Ação Social Transformadora da CNBB, explicando a opção de refletir sobre os desafios atuais, à luz da 2ª Conferência Episcopal Latino-americana de Medellín, é necessário beber das fontes da ação da Igreja no mundo. A conferência de Medellín, lembrou, foi um passo para aplicar, na América Latina, os ensinamentos do Concílio Vaticano 2º.

Dom Guilherme defende que é necessário retomar o caminho dos bispos proféticos de Medellín”. O papa Francisco, segundo o religioso, é um advogado sem precedentes neste caminho de animar o novo momento da Igreja a restabelecer o fio histórico na América Latina.

Análise da realidade
Guilherme Boulos, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), conduziu o processo de reflexão sobre a conjuntura nacional. Ele destacou que o debate com os bispos e líderes das pastorais sociais foi muito qualificado, numa dinâmica de olhar para o país a partir do compromisso com as transformações sociais.

O encontro está encaminhando ainda questões sobre as articulações regionais das pastorais sociais, o processo de encontros sobre a “Laudato Si”, conduzidos pela Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), Semana Social Brasileira e o Dia Mundial de Mobilização pelos Pobres, entre outros.

Conferência de Medellín
A Segunda Conferência Geral do Episcopado Latino-americano realizou-se em Medellín, na Colômbia no período de 24 de agosto a 6 de setembro de 1968. A Conferência foi convocada pelo Papa Paulo VI para aplicar os ensinamentos do Concílio Vaticano II às necessidades da Igreja presente na América Latina. A temática proposta foi “A Igreja na presente transformação da América Latina à luz do Concílio Vaticano II”. A abertura da Conferência foi feita pelo próprio Papa que marcou a primeira visita de um pontífice à América Latina.

Três foram os grandes temas de Medellín: Promoção humana; Evangelização e crescimento na fé; Igreja visível e suas estruturas. Foram produzidos 16 documentos, no horizonte dos três grandes temas citados: I) Justiça, Paz, Família, Demografia, Educação, Juventude. II) Pastoral popular, Pastoral de elites, Catequese, Liturgia. III) Movimentos de Leigos, Sacerdotes, Religiosos, Formação do Clero, Pobreza da Igreja, Pastoral de Conjunto, Meios de Comunicação. Ganharam grande repercussão os documentos sobre a Justiça, a Paz e a Pobreza da Igreja. Diante da relevância e impacto desses documentos, elementos característicos de Medellín foram as reflexões sobre pobreza e libertação.

 

Share This